Publicidade
Sustentabilidade

Mais de 100 mil vivem sob risco de minas

The New York Times/Satellite photograph by Google
Área da Mosaic Fertilizantes P&K, localizada em Cajati, no estado de São Paulo

Publicado em 14.02.2019, às 11:04 am

O jornal The New York Times publicou hoje um levantamento sobre os brasileiros que habitam locais próximos a áreas de extração e que moram em relevos mais baixos do que o das barragens, podendo estar sujeitos a serem vítimas de desastres como o de Brumadinho. São pelo menos 100 mil pessoas vivendo nestas condições. Do total, há 11 mil em áreas de alto risco, pois residem a apenas 8 quilômetros das barragens, a mesma distância entre Brumadinho e a barragem da Vale que se rompeu.

O jornal contabilizou 87 minas em atividades que utilizam os mesmos métodos da Vale, pertencentes a diferentes empresas. Entre elas há operações da própria Vale, Mosaic Fertilizantes P&K, CSN Mineração, ArcelorMittal, Usiminas, Empresa de Mineração e Artefatos de Cimento, Carbonífera Catarinense, Mineração Rio do Norte, entre outras.

LEIA TAMBÉM:
+ Brasil se automutila com lixo e negligência

A maioria delas está localizada no estado de Minas Gerais, mas há também no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Goiás, Bahia e Pará. “Esse tipo de projeto é arriscado se for não monitorado cuidadosamente e especialistas alertam que um colapso pode acontecer novamente em um país onde nem o setor de mineração nem os reguladores têm a situação sob controle”, escreve o Times.

Principais tags desta reportagem:



Publicidade
Outros destaques

Bitnami