*

Economia Urbana 16.10.2018 — 8:24 am

Para CEO do LinkedIn, programar não é a habilidade mais importante

Jordan Whitfield / Unsplash
Sinal luminoso em neon

Enquanto a tecnologia muda rotinas e espaços de trabalho, especialistas tentam identificar quais habilidades os profissionais devem desenvolver  para sobreviver a tantas transformações.

Para Jeff Weiner, CEO do LinkedIn, um dos principais bancos de informação sobre o mercado de trabalho do mundo, o futuro não está em saber programar computadores — ao contrário do que diz o senso comum. Em evento comemorativo de 25 anos da revista americana de tecnologia Wired, ele afirmou que toda a capacidade humana de codificação e criação de softwares e eletrônicos deve ser superada pela Inteligência Artificial dentro de pouco tempo.

A boa notícia é que outras habilidades vão demorar mais tempo para serem superadas pelos computadores, caso da comunicação escrita e oral e da capacidade de coordenar equipes e exercer liderança. Segundo Weiner, as pessoas deveriam se empenhar em desenvolver estas habilidades para garantirem uma maior estabilidade profissional durante um período mais longo.

Em maio, o Esquina realizou o debate para discutir os espaços de trabalho contemporâneos e do futuro, elemento fundamental para definir nossas cidades.

O escritor israelense Yuval Noah Harari, autor de best-selleres como Sapiens – Uma Breve História da Humanidade e 21 Lições Para o Século 21, ambos já lançados no Brasil, é um dos que defendem a criação de novos sentidos para a vida humana que independam do trabalho, uma vez que a maioria dos empregos que conhecemos hoje desaparecerão nas próximas décadas. Para o autor, será cada vez mais difícil encontrar tarefas que os humanos possam desempenhar melhor do que os algoritmos.

As mudanças vão impactar na maneira como as pessoas vivem e também na maneira como as cidades funcionam e são produzidas.

Tags:, , ,

Bitnami